4 ferramentas indispensáveis ao estudo da Bíblia

21/09/2017 16:53

 

Você sabia que a cada sete pessoas apenas uma lê a Bíblia diariamente? Segundo a Sociedade Bíblica Americana cerca de 50% da comunidade cristã lê a Bíblia menos de 3 vezes ao ano, 28% nunca lê e 61% diz que gostaria de ler com mais frequência.

 

Você lê pouco a Bíblia e gostaria de aumentar seu nível de leitura?

 

Quer saber como aprofundar seus estudos sobre as escrituras sagradas?

 

Abaixo listamos quatro dicas para um estudo eficaz da Bíblia Sagrada:

 

1. Versões da Bíblia

Hoje há no mercado várias versões da Bíblia Sagrada em língua portuguesa, cada versão foi traduzida seguindo um modelo ou metodologia diferente. Algumas foram traduzidas direto do texto original, outras de traduções existentes em línguas estrangeiras, há Bíblias traduzidas pelo método palavra por palavra, e há Bíblias traduzidas por ideia, observando-se o contexto. Diante de tudo isso é aconselhável que o estudante tenha em mãos várias versões da Palavra de Deus, a fim de compará-las entre si e melhor compreendê-la.

 

Então se você deseja entender com mais profundidade a Bíblia, tenha em mãos pelo menos 3 versões.

 

Veja abaixo alguns exemplos de traduções disponíveis em língua portuguesa:

  • Tradução Almeida Revista e Corrigida
  • Tradução Almeida Revista e Atualizada
  • Versão Almeida Corrigida Fiel
  • Tradução Brasileira 
  • Bíblia Viva e A Nova Bíblia
  • Tradução para a Linguagem de Hoje
  • A Nova Versão Internacional

 

2. Contexto Bíblico

Já é sabido por muitos que não se deve estudar um versículo bíblico isoladamente, mas dentro de um contexto.

Para que se tenha devida compreensão do texto bíblico deve-se observar o contexto imediato ou os versículos bíblicos imediatamente antes e depois do versículo em questão, se possível ou preferencialmente capítulos anteriores e posteriores ao texto em estudo.

 

Deve-se ainda buscar conhecer o contexto mais amplo, aquele que vai além do texto bíblico, aquele presente em livros históricos, arqueologia, antropofagia, etc.

 

Tenha em mãos bons livros sobre “Panorama Bíblico” e compreenda melhor os costumes, tradições, política, guerras, enfim, o modo de viver dos povos bíblicos, isso o ajudará a compreender melhor o que há por trás de alguns textos sagrados.

 

3. Ter conhecimento do texto original

Os 39 livros do antigo testamento foram escritos em Hebraico antigo, apenas alguns capítulos de Daniel e Esdras foram escrito em Aramaico, já o novo testamento foi escrito originalmente em Grego koiné.

 

Embora este seja um tema que causa pânico entre os pregadores, seminaristas e estudiosos da Bíblia, não se pode negligenciar a importância de adquirir o conhecimento do Grego, Hebraico e até Haramaico.

 

Sim, há uma infinidade de boas traduções bíblicas, mas você já dever ter notado que as narrativas apresentam diferenças entre si. Somente através do estudo das línguas bíblicas (Grego e Hebraico) que se pode saber qual a narrativa mais próxima do original.

 

 

Quem possui o conhecimento das línguas originais tem uma compreensão do texto bíblico num nível mais profundo.

 

4. Dicionário Bíblico

Esta é uma excelente ferramenta e que não pode faltar na sua biblioteca, o dicionário bíblico.

 

Um bom dicionário bíblico apresenta informações sobre nomes e lugares mencionados na Bíblia, conteúdo histórico, doutrina, mapas, referências cruzadas, conceitos teológicos, costumes, etc.

 

Há vários dicionários bíblicos evangélicos no mercado, abaixo citamos 3 exemplares para você escolher:

  • Dicionário Bíblico Wycliffe
  • Dicionário Bíblico Tyndale
  • Dicionário Bíblico Ilustrado – Crescer 

 

Esses são os quatro pontos básicos que você deve observar para ter sucesso ao estudar a Bíblia: providencie várias traduções, observe o contexto, aprenda as línguas originais e tenha em mãos um bom dicionário bíblico. Bons estudos!

 

Se você deseja aprofundar seus estudos, CLIQUE AQUI e veja que agora você pode aprender teologia com qualidade, no seu ritmo e sem mensalidades! A formação espiritual madura pode ser o diferencial de um obreiro aprovado por Deus.